Combate a dengue
Vista Conveniência - Rua Silvio de Castro Cunha, 255 - Bodoquena - MS
13:45 hs
Mato Grosso do Sul, 13 de Dezembro de 2017
Inicio Fotos Brasil Cidades Entretenimento Esporte Receita Policia Política Contato Útimas Notícias
Você é a favor da reforma da previdência e suas medidas que tira direitos dos trabalhadores, segundo o governo para impedir a falência do sistema previdenciário do Brasil?
sim
não
talvez


Notícias 28/11/2017 às 07:14hs Para despistar, suspeita falou que mãe e padrasto estavam na Bolívia Notícias
Campo Grande News
Geisy Garnes
Clique para ampliar imagem Para despistar, suspeita falou que mãe e padrasto estavam na Bolívia
Para despistar a família sobre o desaparecimento da mãe e do padrasto, Rita de Kássia Ledesma Ferreira, de 24 anos, afirmou que o casal havia “viajado para comprar bebidas na Bolívia”. A jovem e o namorado, Diego Antônio de Silva, são procurados pelo assassinato do casal, que foi encontrado enterrados na varanda de casa na manhã de 24 de novembro.

No sábado, dia 25 de novembro, o justiça decretou a prisão preventiva de Rita de Kássia e Diego. Segundo as investigações, logo após um boletim de ocorrência por desaparecimento ser registrado pela família das vítimas, os autores fugiram de Corumbá para Campo Grande. Eles teriam embarcado em um ônibus às 23h30 de quinta-feira (23).

Testemunhas contaram à polícia que Marilene Ledesmo Ferreira e Paulo Mariano Pinto, de 53 e 59 anos, foram vistos pela última vez no dia 10 de novembro. Durante todos os dias que ficaram desaparecidos, Rita e Diego tentaram despistar a família, inventando viagens e compromissos para o casal.

Nos primeiros dias, a jovem afirmou que o padrasto e a mãe teriam viajado para Campo Grande. Dias depois, ela contou que as vítimas estavam na Bolívia para comprar bebidas. Segundo o inquérito policial, Rita chegou a entregar um suposto recado a família de Paulo, alegando que ele passaria na casa de uma prima para “tranquilizar a família” quando voltasse da fronteira.

De acordo com o processo, Marilene e o marido foram assassinados a golpes de faca “somente por não concordarem com o relacionamento da filha com Diego”. Para a polícia, o casal ainda planejou o crime para poder ficar com a casa das vítimas para eles. Após o homicídio, os suspeitos venderam vários eletrodomésticos da residência.

Marilene e Paulo foram encontrados na manhã de sexta-feira (24), por familiares que cansados da falta de notícia resolveram ir até a casa em que moravam. Os corpos foram encontrados enterrados em um buraco na varanda da residência, coberto por areia fina.

O casal é indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil, ocultação de cadáver e furto qualificado e está foragido.

Imprimir Favoritos Facebook Últimas Notícias